Areia deve se tornar Capital Paraibana da Cachaça



Os deputados estaduais aprovaram o projeto de Lei 1.340/2019, de autoria do deputado e presidente da Frente Parlamentar de Empreendedorismo e Desenvolvimento Econômico da Assembleia Legislativa (ALPB), Eduardo Carneiro (PRTB), que institui o título de Capital Paraibana da Cachaça para o município de Areia, no Brejo da Paraíba. A matéria, que tem o objetivo de aquecer o turismo e a economia, aguarda sanção do governador João Azêvedo (Cidadania).



Areia é a 4ª cidade em número de estabelecimentos de produtores de cachaça do Brasil e a 1ª do Nordeste. No município, existem 28 engenhos ativos, que em 2018 produziram 4,5 milhões de litros de cachaça. O setor gera aproximadamente 2 mil empregos indiretos e 45% do ICMS que entra em Areia é oriundo da cachaça. Os dados são do Anuário da Cachaça.



De acordo com Eduardo, a produção de cachaça em Areia também movimenta a economia local através do turismo, sendo os engenhos um dos principais atrativos do município. Os engenhos de cachaça de Areia recebem em tomo de 25 mil turistas por ano e estão no roteiro turístico "Caminhos dos Engenhos".



“Com a concessão do título de "Capital Paraibana da Cachaça" à cidade de Areia, espera-se alcançar uma maior divulgação da excelente qualidade das cachaças do município, reconhecida pelos inúmeros prêmios recebidos e o aumento da sua produção, facilitando a captação de recursos e investimentos, impulsionando também o turismo do setor, promovendo a geração de mais empregos e o consequente desenvolvimento regional, além de dar justo reconhecimento à identidade cultural local associada ao produto e a sua história”, destacou o deputado.



Produção – Dados da Associação Paraibana dos Engenhos de Cachaça de Alambique (Aspeca), a Paraíba é o maior fabricante de cachaça de alambique do país, possui 80 engenhos que juntos fazem 12 milhões de litros por ano. No Brasil, existem cerca de 40 mil produtores de cachaça artesanal. O Estado possui 30 engenhos que produzem e engarrafam cachaça e outros 50 apenas produzem a bebida, vendendo a outras marcas.