BNB e MDR anunciam pacote de medidas para estimular a economia

Os clientes do Banco do Nordeste com operações de crédito em vigor contratadas a partir de janeiro de 2018 com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) poderão optar pela troca de modelo de cobrança de juros pós-fixados por pré-fixados. O pedido de alteração pode ser feito entre o dia 2 de maio e 30 de dezembro deste ano.

A medida foi anunciada, nesta quinta-feira (10), em Salvador (BA), pelo ministro do Desenvolvimento Regional (MDR), Rogério Marinho, como parte do pacote de estímulo à economia. As outras ações contemplam descontos para renegociação de dívidas, prorrogação de prazos e crédito emergencial com juros reduzidos.

Segundo o presidente do BNB, José Gomes da Costa, a mudança na aplicação de juros vale de forma definitiva até o final da operação. “O cliente pode avaliar se é vantajoso fixar os juros para programar seus pagamentos até o final do prazo. Isso favorece o planejamento do negócio, sobretudo em um cenário de elevação da taxa referencial”, afirma.

Outra medida anunciada é a oferta de até 95% de descontos para quitar dívidas vencidas há mais de dois anos ou, ainda, a possibilidade de prorrogar prazos de pagamento. São beneficiados produtores rurais, industriais, comerciais e de serviços em toda região de atuação do banco que captaram recursos internos do Banco. As vantagens, que antes eram oferecidas somente períodos de campanhas de renegociação, passam a vigorar por tempo indeterminado. As condições dos benefícios são avaliadas a cada negociação.

Vítimas de enchentes

As linhas de crédito emergenciais, tanto para empreendedores urbanos quanto para produtores rurais, amparam operações que sejam realizadas até 30 de junho deste ano e são válidas para os empreendimentos e propriedades inseridos em municípios que tenham a situação de emergência ou estado de calamidade pública reconhecido pelo Governo Federal, por meio do MDR.

A contratação é condicionada à comprovação de perda da renda pelo tomador em função dos eventos climáticos adversos que tenham ocorrido entre 1º de novembro de 2021 e 28 de fevereiro de 2022.

Para o presidente do BNB, José Gomes da Costa, o crédito emergencial visa manter ativa a economia dessas cidades. “Muitos negócios que estavam em um momento de recuperação tiveram essa dificuldade inesperada. O prejuízo causado pelas chuvas ameaça a economia de muitos municípios. Estamos oferecendo essas condições especiais como forma de manter a produção, o emprego da população e, em muitos casos, a própria sobrevivência do empreendimento, especialmente dos micro e pequenos negócios”, afirma.

O BNB também poderá prorrogar as operações de crédito contratadas com recursos internos do Banco com atingidos pelas enchentes. As negociações podem ser feitas até 30 de dezembro de 2022. As dívidas rurais poderão ser prorrogadas as prestações vencidas e vincendas no período de 1º de dezembro de 2021 a 30 de dezembro de 2022.

Já as operações de crédito para atividades urbanas com as prestações vencidas e vincendas entre 1º de dezembro de 2021 e 30 de junho de 2022 podem ser prorrogadas, desde que estejam em situação de adimplência na posição de 30 de novembro de 2021.