Bruno quer audiência com os 3 senadores e descarta aliança com João

O prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima, descartou a possibilidade de aliança política entre o seu partido (o PSD) e o Cidadania, do governador João Azevêdo. Bruno disse que essa composição, que envolveria o nome do ex-prefeito campinense Romero Rodrigues não prospera. A sugestão de união vem sendo definida pelo deputado estadual Manoel Ludgério, que também é do PSD. Ludgério, ontem, em entrevista ao programa Correio Debate, da TV CORREIO, voltou a fazer sua defesa pela aproximação das duas lideranças políticas.

Bruno Cunha Lima, durante evento da Prefeitura de Campina Grande, disse que respeita a opinião de Ludgério mas que o lugar de Romero Rodrigues na chapa majoritária é como candidato a governador no próximo ano, como liderança de oposição ao Governo do Estado.



O prefeito de Campina Grande foi questionado se recepcionaria o ex-presidente Lula numa eventual visita à Campina Grande. Bruno disse que tem compromisso institucional apenas de receber o presidente da República, que hoje é Jair Bolsonaro. Acrescentou que se, no próximo ano, outro político for eleito presidente não terá dificuldades de recepciona-lo como prefeito de Campina Grande.







No programa Correio Debate, da TV Correio, bruno Cunha Lima revelou ainda que vai propor uma audiência conjunta com os três senadores da Paraíba - Veneziano Vital, Nilda Gondim - ambos do MDB) e Daniella Ribeiro (PP) - para uma discussão sobre as emendas beneficiando Campina Grande que eles devem apresentar na proposta de Orçamento Geral da União para 2022.