Campanha ‘Nenhuma a Menos’ tem nova fase

Já estão nas ruas da Capital e Grande João Pessoa 20 ônibus de transporte coletivo com divulgação de peças informativas da campanha 'Nenhuma a Menos, Paraíba!', idealizada pelo Núcleo de Gênero do Ministério Público da Paraíba (MPPB), em parceria com Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), que tem como objetivo prevenir e combater o crime de feminicídio.



A campanha, iniciada mês passado tendo como mote o ‘Agosto Lilás’ e os 13 anos da Lei Maria da Penha, já acontece nas redes sociais, no rádio, na TV e, nesta semana, alcança uma nova fase, com a divulgação de peças informativas em formato de busdoor (cartaz aplicado no vidro traseiro de veículos de transporte urbano) durante os meses de setembro e outubro. A divulgação também está inserida nos contracheques dos servidores da Câmara, onde está impresso o slogan ‘violência contra a mulher é crime e deve ser denunciado. Disque 180, 190 ou 197. Nenhuma a menos, Paraíba!’.



“Nós iniciamos, hoje, mais uma etapa da campanha 'Nenhuma a Menos, Paraíba!', com a colocação dos busdoors nos ônibus, com o objetivo de levar informações à sociedade acerca do crime de feminicídio. As peças trazem os índices alarmantes – mais de mil mulheres foram vítimas de feminicídio na última década – e dados sobre os locais onde o crime costumeiramente ocorre – 42% deles ocorrem nas residências das vítimas, entre outros. O objetivo é fazer com que as pessoas tomem conhecimento dessas informações e realmente se conscientizem, sejam esclarecidas acerca desse mal que assola a todos e se tornem multiplicadoras no combate a essa prática de violência extrema”, explicou a promotora de Justiça integrante do Núcleo Estadual Gênero do MPPB, Ismânia Pessoa.



A promotora de Justiça destacou a adesão da prefeitura de Campina Grande à campanha. “Nesta quarta-feira (11), fizemos um evento em Campina Grande. Conseguimos a adesão da cidade, e outras prefeituras também estão aderindo. Também percorremos o sertão, reunimos alguns representantes de prefeituras na sede da promotoria de São Bento. A previsão é que consigamos percorrer todo o Estado com a campanha”, declarou.



Ismânia Pessoa ainda orientou sobre como denunciar casos de violência contra a mulher e prevenir o feminicídio. “Os canais de denúncia mais fáceis são os números 180, 190 e 197. Essas denúncias são anônimas, você não precisa se identificar, seja você uma vítima ou um vizinho. Há um tempo, nós ouvíamos o jargão que 'Em briga de marido e mulher não se mete a colher', mas, se mete, aliás, se mete o faqueiro inteiro. É a nossa próxima que está ali sofrendo, sendo vítima, não podemos ficar calados”, alertou a promotora de Justiça.