Curso ‘Eleições 2022 e o desafio da desinformação’ inscreve até 19 de junho
7 de junho de 2022
Redação

No intuito de proporcionar maior conhecimento aos magistrados sobre a temática da desinformação e da segurança do sistema eleitoral de votação, em alinhamento ao Planejamento Estratégico de Enfrentamento à Desinformação do Tribunal Superior Eleitoral para Eleições 2022, a Escola Superior da Magistratura (Esma) e a Escola Judiciária Eleitoral da Paraíba promoverão o Curso ‘Eleições 2022 e o desafio da desinformação’. As inscrições ocorrem até o dia 19 de junho no endereço eletrônico https://forms.gle/Srs4bvg64WLPS1Q49.
A formação é destinada, exclusivamente, aos magistrados do Poder Judiciário estadual que exercem função eleitoral. Estão sendo ofertadas 68 vagas distribuídas em duas turmas, sendo 34 vagas para cada turma. A formação é promovida pela Esma em parceria com a Escola Judicial do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB).
As aulas na modalidade de ensino a distância (EaD) ocorrerão no ambiente virtual da Esma e na plataforma de videoconferência Zoom. O curso da Turma I será realizado de 30 de junho a 20 de julho e a Turma II, de 1º a 19 de agosto, sendo ministrado pelos formadores Adriana Martins Ferreira Festugatto, Karine Borges de Liz, José Cassimiro Júnior e Adailton Ventura da Silva.
De acordo com o diretor ajunto da Esma, juiz Antônio Silveira Neto, o curso busca que os participantes estejam aptos a atuar no esclarecimento da segurança eletrônica das Eleições 2022 e também
preparados para lidar com o crescente fenômeno da desinformação, uma vez que o magistrado e a magistrada, no exercício de sua função no âmbito da Justiça Eleitoral  são pessoas formadoras de opinião na sociedade, como também, são fontes de informação para vários veículos da imprensa, representando assim a própria instituição.
“É importante que os juízes estejam atualizados quanto às diretrizes estratégicas da instituição a que pertencem e dominem os conhecimentos relativos à segurança da urna eletrônica e do sistema de votação para esclarecerem à sociedade que a Justiça Eleitoral possui todos os meios para garantir que a vontade popular seja soberana”, disse Silveira.
Ele esclareceu, ainda, “trata-se de uma parceria inédita entre as duas Escolas da Judicatura, que, diante da necessidade de proporcionar aos juízes eleitorais um conhecimento de base sólida para compreender o fenômeno desinformação e os perigos para democracia, desenvolveram esse curso com escolha de formadores de alto nível”.

Compartilhe: