Desperdício chega a 60% dos alimentos em domicílios
31 de março de 2024
Redação

Em 2022, cerca de 1,05 bilhão de toneladas de resíduos alimentares foram geradas globalmente, com um impacto significativo de 132 quilos per capita, representando quase um quinto de todos os alimentos disponíveis para consumo.

O relatório do Programa das Nações Unidas para o Ambiente (PNUMA) ressalta que 60% do desperdício ocorreu em domicílios, 28% em serviços de alimentação e 12% no varejo.

O desperdício alimentar continua a ser uma preocupação global, exacerbando questões como mudança climática, perda de biodiversidade e poluição dos ecossistemas.

O relatório destaca a necessidade de aprimorar a coleta de dados e adotar práticas para reduzir o desperdício de alimentos.Em 2022, domicílios em todos os continentes desperdiçaram mais de 1 bilhão de refeições por dia, enquanto 783 milhões de pessoas enfrentavam a fome e um terço da população global sofria com insegurança alimentar.

Inger Andersen, diretora executiva do PNUMA, enfatizou a urgência de ações coordenadas para reverter esse cenário.Apesar do aumento na coleta de dados desde 2021, muitos países ainda carecem de sistemas adequados para acompanhar o progresso na redução do desperdício de alimentos.

Apenas quatro países do G20 e a União Europeia têm estimativas adequadas para monitorar os avanços até 2030.O relatório destaca a importância de abordar o desperdício alimentar em níveis individuais e sistêmicos, com ênfase na implementação de políticas e parcerias público-privadas.

Ações coordenadas são essenciais para garantir que os alimentos sejam direcionados para o consumo humano, não para aterros sanitários.

O PNUMA continua a monitorar o progresso em nível nacional para reduzir pela metade o desperdício de alimentos até 2030, enfocando soluções além da medição. Parcerias público-privadas estão emergindo como uma ferramenta vital para impulsionar a redução do desperdício alimentar e mitigar seus impactos ambientais e socioeconômicos.

Compartilhe: