Fogo alto na panela do rompimento entre João e Veneziano

Pode até não acontecer agora, mas o prato do rompimento político entre o governador João Azevedo é o senador Veneziano Vital do Rêgo está em fritura. Isso também é um reflexo das estratégias nacionais do Cidadania e do MDB, este num viés bem claro de reaproximação com o ex-presidente Lula.

O mal estar hoje em Campina Grande, quando Ana Claudia Vital não foi relacionada entre as autoridades que comporiam a mesa da solenidade sob a batuta de Azevedo, pode ter proporções maiores. Subiu a temperatura na base aliada do governador.

João reagiu com surpresa: “Se o secretário que está no auditório não está sentado na mesa, é porque não cabia na mesa. Eu espero que esse não seja motivo para justificar outras atitudes.”

E revelou ter convidado também o senador Veneziano, que alegou estar numa outra solenidade em Imperatriz (MA), como parte de suas atividades à frente do Senado Federal, que assumiu interinamente.

Disse João: “Eu tive a consideração de falar com o senador para que estivesse aqui, ele que preferiu ir para Imperatriz. Isso não é um problema meu e entendo a agenda dele, respeito a agenda de todo mundo.”

Já o senador Veneziano, em resposta, considerou “muito deselegante” o gesto do governador, em, segundo ele, desprestigiar sua esposa na solenidade.

Interlocutores presentes à solenidade do Governo do Estado na manhã desta sexta-feira, em Campina Grande, informaram que após a “saia justa” de a Secretária de Estado do Desenvolvimento e da Articulação Municipal Ana Cláudia Vital não ter sido chamada para a mesa de honra, uma pessoa que estava no auditório foi ao cerimonial alertar para a gafe.

Porém, recebeu um “não” da responsável pela composição da mesa de honra. “A mesa já está completa”, afirmou o interlocutor, dizendo, ainda, que a responsável pelo cerimonial foi “curta e grossa”.

Ele comentou com as pessoas que o acompanhavam na solenidade que estranhou o fato porque, após a cerimonialista afirmar que a mesa já estava completa, ainda houve espaço para que fossem colocadas outras duas cadeiras extras, para que fossem convidados o deputado estadual Manoel Ludgério, adversário de Veneziano e aliado de Romero Rodrigues; e Doda de Tião, que não é de Campina Grande, mas da vizinha cidade de Queimadas. Foi neste instante que Ana Cláudia resolveu deixar o ambiente.