Gaeco apura desvios na Saúde no interior paulista e cumpre mandado em Pilar
30 de setembro de 2021
Redação

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e a Promotoria de Justiça de Cachoeira Paulista deflagraram, na manhã desta quinta-feira (30), a segunda fase da Operação Santo Remédio, em continuidade às investigações iniciadas no ano de 2018, que apuraram o desvio de verbas públicas oriundas de contratação irregular de organização social responsável pela gestão da saúde da cidade.

Estão sendo cumpridos sete mandados de busca e apreensão em endereços ligados a funcionários públicos e particulares investigados, nas cidades de Cachoeira Paulista e Silveiras. Entre os alvos está a sede da Santa Casa de Misericórdia. O MPSP também cumpre mandado na cidade de Pilar, no Estado da Paraíba.

Em razão do apurado nas novas investigações, e a indicação de desvio de recursos e lavagem de dinheiro, foi deferida, também, a quebra de sigilo bancário e fiscal dos envolvidos e decretada a indisponibilidade de bens até o limite de R$ 982.201,27 para resguardar o prejuízo ao erário.

Na primeira fase das investigações, o MPSP contou com o apoio da Unidade Regional de Guaratinguetá do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo. Já foram oferecidas e recebidas pela Justiça de Cachoeira Paulista duas denúncias contra dez pessoas no total, por organização criminosa e lavagem de dinheiro, dentre outros crimes.

Além dos promotores de Justiça, participam da ação servidores do Ministério Público e policiais militares do 3° Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar.

Compartilhe: