Gilmar Mendes mantém prisão de Coriolano Coutinho

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), manteve a prisão de Coriolano Coutinho, irmão do ex-governador Ricardo Coutinho. O ministro rejeitou, na sexta-feira (20), o pedido para que fosse determinado à ministra Laurita Vaz, relatora da Operação Calvário no Superior Tribunal de Justiça (STJ), a análise da petição de liberdade para Coriolano.

Gilmar Mendes disse não "vislumbrar a ocorrência de constrangimento ilegal" na prisão. Contudo, recomendou que o "STJ imprima celeridade ao julgamento" do recurso de Coriolano.

A defesa de Coriolano também pediu ordem de ofício para revogar a prisão preventiva e aplicar medida cautelar ao investigado ou conduzi-lo a prisão domiciliar. Segundo a defesa, Coriolano é o único réu a ser mantido preso.

Coriolano voltou a ser preso acusado de descumprir medidas cautelares, em dezembro de 2020, após ser detido na Operação Calvário, investigado por envolvimento em esquema de desvio de recursos públicos na Paraíba.