Governo assina contrato para cessão do projeto Fosfato



No mês em que completa 1000 dias de gestão, o Governo Federal, por meio do Ministério de Minas e Energia (MME) e do Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM), realizou nesta terça-feira (28/9) a assinatura do contrato para cessão do Projeto Fosfato de Miriri para a empresa BF Mineração. A empresa deverá investir em pesquisas geológicas para produção de fertilizantes de fosfato, beneficiando o mercado agrícola do Nordeste, especialmente a região formada pelos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, denominada Matopiba, considerada emergente produtora de grãos do país. O evento aconteceu em João Pessoa, na Paraíba e contou com as presenças do Ministro Bento Albuquerque, além do diretor-presidente do SGB-CPRM, Esteves Colnago.





De acordo com Esteves, a disponibilização desses ativos minerários é de extrema importância. "O SGB-CPRM cumpre seu papel ao disponibilizar esses ativos minerários, estudados pela empresa no passado, para o parceiro privado que irá dar continuidade no projeto visando à instalação de um empreendimento mineral que beneficiará toda a sociedade local e regional", disse.























Diretor-presidente Esteves Colnago assina o contrato de cessão de direitos à BF Mineração







Já o ministro Bento Albuquerque começou ressaltando os 1000 dias do atual governo federal, além de destacar os avanços tanto da produção de energia, quanto da mineração. "O estado da Paraíba é importante não só na geração de energia, como a solar, eólica, são mais de dois bilhões de reais em investimento na geração de energia, assim como também estamos fazendo na mineração", disse.





"Além de gerar emprego e renda, esse investimento vai atender a uma necessidade essencial da agricultura brasileira. Apesar de o Brasil ser um dos maiores produtores de alimentos do mundo, nós ainda somos um grande importador de fertilizantes, o que aumenta o custo do alimento. Com esse empreendimento de Miriri, o custo será reduzido, beneficiando o cidadão local e também toda sociedade brasileira", afirmou Bento Albuquerque.





O fosfato é um dos principais insumos para produção de fertilizantes minerais, amplamente utilizados pela indústria do agronegócio. Atualmente, o Brasil depende largamente da importação desse produto mineral. A limitada produção brasileira de fosfato está concentrada na região centro-sul. O projeto Fosfato de Miriri tem potencial para reduzir a dependência de produtos importados na região Nordeste.





















Diretor-presidente Esteves Colnago participou da solenidade de assinatura do contrato em João Pessoa (PB)





"A equipe do SGB-CPRM tem trabalhado muito para que estes ativos minerais possam dar o devido retorno à sociedade. Este, de maneira especial, ajuda o país a cumprir a sua grande missão de alimentar o mundo. A parceria com o PPI foi fundamental para o bom andamento, bem como o rigor do TCU, que nos ajuda a melhorar cada vez mais o processo", afirmou o diretor de Geologia e Recurso Minerais do SGB-CPRM, Márcio Remédio.





O Projeto Fosfato Miriri abrange sete processos minerários e está localizado em uma área total de 6.112,18 hectares, ao sul de João Pessoa (PB). A área abrange os municípios de Alhandra e Pedra do Fogo, na Paraíba, e Goiana, em Pernambuco. O projeto faz parte do Programa de Parcerias de Investimento (PPI) do Governo Federal.























Luís Azevedo, CEO da BF, assina o contrato de cessão de direitos minerários