Jovens internos da PB terão sua própria rádio
8 de julho de 2014
Redação

Será lançado na próxima quarta-feira (9) o projeto “Rádio Viva”, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Humano (SEDH) e voltado para os adolescentes que cumprem medidas socioeducativas na Paraíba. Projeto piloto, a Rádio Viva será experimentada inicialmente no Centro Socioeducativo Edson Mota, em Mangabeira, com a parceria da Fundação de Desenvolvimento da Criança e do Adolescente (Fundac) e da organização não-governamental Essor. 60 jovens se dispuseram a participar do projeto, que pretende se estender a todos os centros socioeducativos do Estado.

A ideia é criar, em parceria com os jovens, uma grade de programação diária de rádio interna, com músicas e informações que provoquem reflexões importantes sobre a realidade e a vida. “Além disso, o que se pretende também é mexer com a autoestima dos adolescentes, mostrar que eles são capazes de produzir um programa de rádio, com a programação musical que eles se identifiquem e com a linguagem deles. Isso é muito importante para eles que estão à margem da sociedade”, afirmou a coordenadora estadual dos Creas, Maria Madalena Pessoa Dias.

Para tanto, os jovens participarão de oficinas de produção radiofônica e cidadania, sendo instigados a pensar em temas importantes, como relações familiares, saúde, raça e etnia, e diversidade humana. Ainda será produzido um CD, com os conteúdos elaborados pelos jovens, que, como explica Alcemir Freire, da Fundac, servirá também como cartão de visita profissional. “Além de promover a cidadania, a gente estará encaminhando profissionalmente esses jovens participantes, que terão neste CD um importante mostruário do seu trabalho”, afirmou.

As oficinas temáticas terão duração de três meses. Logo após o termino delas, os adolescentes participarão da oficina de rádio, que durará um mês e que ensinará os jovens a manejar o equipamento para colocar a programação no ar. Depois disso, a rádio fica por conta dos adolescentes que decidirão sozinhos sobre todo o conteúdo da rádio. “O projeto só irá adiante se os jovens se sentirem donos daquele espaço, então o protagonismo é peça-chave nessa iniciativa e em qualquer ação de ressocialização. É preciso educar para autonomia”, declarou Freire.

Outra intenção do projeto é potencializar e divulgar ações já desenvolvidas nas instituições socioeducativas do Estado. No Centro Socioeducativo Edson Mota, por exemplo, já existe, entre outras, a oficina de música e percussão. Ministrada pelo rapper paraibano Pertinaz, a atividade vem estimulando os adolescentes a fazerem suas próprias músicas, as quais estarão na programação da rádio e no CD que será produzido.

Compartilhe: