Municípios paraibanos autorizados a aplicar terceira dose contra Covid

Os municípios paraibanos estão autorizados a aplicarem a dose de reforço contra Covid-19 em idosos acima de 70 anos e em pessoas imunossuprimidas. A decisão foi aprovada na 8ª Reunião Ordinária da Comissão Intergestora Bipartite, que também deliberou sobre a vacinação de adolescentes entre 12 e 17 anos, com e sem comorbidade. A inserção deste novo público se dará após a chegada de novas doses, específicas para esta faixa etária, ainda esta semana.

A Secretaria de Saúde do Estado orienta que o reforço para idosos seja feito de forma simultânea aos públicos atuais e, preferencialmente, com imunizantes da Pfizer, sendo respeitado o intervalo de seis meses após o fechamento do esquema vacinal (dose 2 ou dose única) para os idosos, e de forma decrescente.

Já para os imunossuprimidos, a dose extra deve ser ministrada 28 dias após a conclusão do esquema, conforme preconiza a Nota Técnica do Ministério da Saúde.

Sobre a vacinação dos adolescentes entre 12 e 17 anos, o secretário de Saúde Geraldo Medeiros destaca que a viabilização será possível devido ao incremento na quantidade das doses de vacinas destinadas à Paraíba. Ele pontua que o estado deve receber cerca de 200 mil doses nos próximos dias.

“A decisão do ministério já contempla este público no PNI com doses da Pfizer. No entanto, só poderíamos viabilizar a vacinação destes jovens junto aos municípios com um quantitativo de imunizantes destinados especificamente para esta faixa etária, o que vai ser realizado a partir da chegada das novas vacinas ainda nesta semana”, enfatiza.

Geraldo Medeiros reforça que os municípios podem iniciar imediatamente a vacinação de idosos acima de 70 anos e na população imunossuprimida, caso ainda possuam doses armazenadas. O intuito é evitar o desperdício destas doses e ainda reforçar a proteção de pessoas mais vulneráveis ao agravo.

Ainda sobre a vacinação dos adolescentes, o secretário de saúde enfatiza que o gerenciamento fica a cargo dos municípios “Os gestores municipais são responsáveis pela estratégia vacinal e devem fazer a busca ativa da população acima dos 18 anos para garantir 100% de cobertura vacinal”, finaliza Geraldo Medeiros.