Pedro diz que não há espaço para Azevedo em seu palanque; assista vídeos

Confirmado pré-candidato ao Governo do Estado pelo PSDB, o deputado federal Pedro Cunha Lima admitiu que não tem espaço para ele e o atual governador João Azevedo (Cidadania), caso seja confirmada na regra da "federação partidária" a prioridade para quem tem mandato e vai disputar a reeleição no cargo do Executivo. Pedro defendeu fim de privilégios para o governador e considerou "bizarro" o orçamento de mais de R$ 300 milhões para Assembleia Legislativa. Ele acha que pode convencer deputados estaduais e candidatos ao Legislativo estadual de dar "um reset" na máquina pública.

Os quatro blocos da entrevista exclusiva ao Correio Debate, na TV CORREIO, você assiste aqui abaixo.

Pedro Cunha Lima comparou o orçamento da Assembleia com o da UEPB e da Polícia Militar e disse que a defesa dos gastos com os deputados não se sustenta. "Quem mergulhar nesse espírito vai se fortalecer politicamente", disse. O deputado federal está seguro do apoio do prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima, e do ex-prefeito Romero Rodrigues (ambos do PSD).

O deputado federal argumentou que faz parte de uma nova geração e seu olhar sobre a política é totalmente diferente dos que tinham o seu avô, Ronaldo Cunha Lima, e ao seu pai, Cássio Cunha Lima. "Já quebrei o retrovisor. Tenho admiração da história de Ronaldo e de Cássio, mas toda as vezes que alguém puxar esse debate é porque não quer discutir situações atuais como os gastos com a Granja Santana", observou.