Pesquisadora da UFPB cria surimi com carne de rã-touro

A pesquisadora Sinara Pereira Fragoso, do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) criou um surimi inédito com carne de rã-touro (Lithobates catesbeiana). O alimento, do tipo kamaboko (comida tradicional japonesa), é altamente nutritivo, rico em proteína animal e com preço acessível a todas as classes sociais.

O produto é uma inovação científica que foi patenteada por meio da Agência UFPB de Inovação Tecnológica (Inova). Ele possui 14,74% de proteína e baixo teor de gordura (1,26%), da qual 64% são compostas de ácidos graxos insaturados (36% do tipo monoinsaturados e 27% do tipo poli-insaturados). Nos testes sensoriais realizados, o surimi teve média de aceitação acima de 70%.

A carne de rã-touro foi escolhida por fazer parte dos alimentos funcionais – que trazem benefícios para a saúde, pois tem elevada quantidade de aminoácidos e possui boa disponibilidade de cálcio e ferro. Em virtude dessas características, é indicada para dietas hipocalóricas, doenças gastrointestinais e tratamento de alergias.

Conforme o levantamento de custos feito por Sinara Pereira, no ano de 2016, o preço por embalagem de 250g do surimi seria de R$ 2,50, um valor final bastante reduzido. No mercado atual, existem alguns exemplos de surimi comercializados em embalagens de 250g, como o Qualitá: R$ 7,43; DMAN: R$ 10,99; Asid Food: R$ 6,55; e Costa e Sul: R$ 6,25.

A pesquisadora destacou que a importância da pesquisa é o aproveitamento do dorso (tórax e braços), considerado como subproduto da rã. “Esse processo de aproveitamento, além diminuir o desperdício de cortes secundários para a indústria da ranicultura, agrega valor a um corte que possui baixo valor comercial”, destacou Sinara Pereira.