Prefeito de João Pessoa anuncia saída do PT e filiação ao PSD

 

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, anunciou, durante entrevista coletiva nesta quinta-feira (17), a sua desfiliação do Partido dos Trabalhadores (PT), no qual militava desde que ingressou na política, no início dos anos 1990. Na ocasião, Cartaxo comunicou seu ingresso no Partido Social Democrático (PSD). Segundo ele, foi uma decisão “amadurecida e serena, tomada após longo período de reflexão do quadro político e da gestão pública, tanto local quanto nacional”.

“Há algum tempo venho sendo questionado, pela imprensa e pelas pessoas nas ruas, sobre os escândalos nacionais. Tenho sido levado a responder sobre casos que não dizem nenhum respeito a qualquer um de nós, aqui em João Pessoa e na Paraíba. Não queremos e não vamos perder mais nenhum minuto sequer com explicações sobre erros que outras lideranças tenham, eventualmente, cometido. Precisamos e vamos continuar inteiramente concentrados naquele que tem sido nosso compromisso de vida, e de gestão: seguir o caminho do trabalho, da realização, da transformação na vida das pessoas, hoje representada na entrega de duas obras por semana, graças a esse projeto de cidade que está levando João Pessoa em direção ao futuro”, acrescentou o prefeito.

“Foram muitos os fatores que pesaram nesta nossa decisão, mas, sem sombra de dúvidas, o mais importante deles é o nosso compromisso firme com o povo de João Pessoa, que assumi desde os primeiros passos na minha vida pública”, afirmou o prefeito. “Resolvemos fazer esta mudança com a responsabilidade permanente que qualquer gestor deve ter, e que eu sempre pratiquei como prefeito de uma cidade com o tamanho e a importância de João Pessoa. Estou aqui para honrar a confiança da população de toda cidade. Sempre o fiz e sempre o farei. Inclusive, estamos saindo para podermos unir ainda mais a cidade e suas forças políticas em favor deste projeto de desenvolvimento que estamos implementando na nossa capital”, ressaltou.

Segundo Cartaxo, “o partido não pode ser um empecilho, um dificultador, para o projeto que está desenvolvendo com tanto êxito na nossa cidade. Deveria ser o oposto, um elemento motivador, agregador e incentivador”. Ele lamentou, também, que o PT esteja, institucionalmente, pagando pelos atos de alguns. Cartaxo argumentou que vai continuar dedicando toda a sua energia, esforço e trabalho diários para a gestão de João Pessoa. “Agora ainda mais”.

PSD

De acordo com o prefeito, o convite para ingressar no partido veio do presidente estadual do PSD, Rômulo Gouveia. “O PSD é um partido novo, com uma longa trajetória a ser construída. O importante é saber que vamos fazer parte deste momento, consolidando a história de uma nova força política em João Pessoa e na Paraíba”, disse.

 

Relação com Dilma

Na opinião do prefeito Cartaxo, a presidente Dilma enfrenta um quadro dificílimo na economia e na política do Brasil. Mas o importante é que supere o mais rapidamente possível a crise para o país voltar a crescer. “Para nós, é fundamental que ela consiga superar essas dificuldades para que possamos retomar o crescimento econômico do país e voltar a investir. Temos parcerias e é importante que o governo federal retome os investimentos na habitação, na saúde, na educação, na mobilidade urbana e na preservação do patrimônio histórico. Vamos manter esta parceria entre João Pessoa e o governo federal”, disse.

Relação com o Governo Estadual

“O nosso trabalho em favor de João Pessoa e a nossa forma de entender e praticar a política nos indica, sempre, a união de forças para a realização de obras e a modernização dos serviços públicos oferecidos, para melhorar a vida das pessoas. Nós vamos defender também a parceria com o governo do Estado em tudo aquilo que for importante para o crescimento e o desenvolvimento de João Pessoa”, explicou o prefeito.

“Com relação ao processo eleitoral do próximo ano, isso só será discutido mais adiante, no tempo certo. Agora é tempo de todos trabalharmos cada vez mais. Nós estamos aqui tratando do relacionamento institucional com o governo do Estado e este deve ser muito bem cuidado, independentemente das opções políticas de cada um”, defendeu Cartaxo.