Prefeito de Soledade vira réu por receber suposta propina de R$ 3 mil

O prefeito de Soledade, Geraldo Moura Ramos, virou réu em ação que apura um suposto recebimento de propina. Os desembargadores do Tribunal de Justiça receberam uma denúncia do Ministério Público do Estado, que aponta o pagamento de propina de R$ 3 mil por parte de uma empresa que a prefeitura mantinha contrato, para prestação de serviços para equipamentos médicos e odontológicos, entre 2018 e 2019.

O advogado Newton Vitta, advogado do prefeito, alega que não há provas que demonstre o pagamento dessa suposta propina e que a denúncia foi uma "armação política"dos adversários do prefeito de Soledade. Os argumentos, contudo, não convenceram os desembargadores do TJPB. “O agrupamento político associou-se com esse empresário para tentar criar um fato. Não há prova. Não há elementos concretos que o prefeito exigiu esses três mil reais”, observou o advogado de defesa.

A quantia teria sido paga pelo dono do empreendimento até chegar a um total de R$ 21 mil. O caso só chegou aos conhecimento do Ministério Público em 2019, após uma representação do empresário contra Geraldo Moura Ramos, após o município atrasar o pagamento dos valores da prestação de serviços, com os valores só seno liberados mediante o pagamento mensal da suposta propina.