Presidente do TJPB entrega projeto de energia solar a Romero Rodrigues
4 de outubro de 2023
Redação

O presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, desembargador João Benedito da Silva, recebeu nesta segunda-feira (02), o deputado federal Romero Rodrigues. O magistrado entregou ao parlamentar um projeto de implantação de um Parque Gerador de Energia Solar, a ser instalado no Fórum Affonso Campos, em Campina Grande. “O deputado se comprometeu a destinar recursos de uma emenda impositiva em benefício do Judiciário paraibano e nós apresentamos um projeto que visa o uso de energia solar na Comarca de Campina Grande, o que nos trará uma economia em torno de 75% na conta de energia”, afirmou o desembargador.

O deputado Romero Rodrigues afirmou que a emenda será no valor de R$ 2,5 milhões. “Nós destinaremos, agora, no orçamento que será votado este ano em Emenda Impositiva, dois milhões e meio de reais, para fazer juízo a implantação da energia solar, e, pelo menos, diminuir o uso contínuo do custeio do fórum de Campina Grande. Então, temos esse compromisso de tentar honrar essa confiança, dessa demanda que surgiu do Tribunal de Justiça da Paraíba e sempre me coloco à disposição”, assegurou.

O desembargador Fred Coutinho participou da reunião e falou da possibilidade de estender o projeto para outras comarcas. “Sem sombra de dúvidas, essa parceria firmada, hoje, aqui, entre o Tribunal de Justiça e Câmara Legislativa, no caso a Câmara dos Deputados Federais, através do deputado Romero Rodrigues, é de suma importância, pois é um investimento em que acima de tudo, valorizar a natureza, ou seja, será uma energia limpa e que, doravante, com certeza, o Poder Judiciário deverá investir ainda mais nesse tipo de iniciativa”.

A juíza auxiliar da Presidência, Lua Yamaoka, disse que com relação a atual gestão, esse projeto é o pioneiro da energia solar fotovoltaica, mas que há sim, projetos para se estender essa energia limpa, tanto para a comarca de João Pessoa, como para outras comarcas do interior da Paraíba, que dependerão, justamente, dessa experiência e de projetos sobre a viabilidade.

“O que aconteceu em algumas unidades já inspecionadas é que, infelizmente, não houve a comportabilidade, não houve como ser implantada a energia naquele prédio. Então, já é outro projeto que partimos à frente para ver um outro terreno que possa adquirir a energia e passar para os prédios em que há essa inviabilidade técnica estrutural, mas, é intenção da gestão expandir a energia solar, essa energia limpa, para outras unidades do Poder Judiciário da Paraíba”.

A diretora do Fórum de Campina Grande, juíza Ana Penazzi, destacou a economia financeira para Tribunal de Justiça. ‘Será uma considerável economia, mas importante também, principalmente, pela questão da sustentabilidade, visto que é uma energia limpa que vai ser gerada e acredito que seja um marco para o Poder Judiciário da Paraíba em empreender projetos dessa natureza”.

Os juízes auxiliares da Presidência, Fábio Araújo e Michelini Jatobá também participaram da reunião.

Por Walquiria Maria

Compartilhe: