Volta de Ricardo tem saída do PT, uso das redes do PSB e ataque a “lavajatismo”

O ex-governador Ricardo Coutinho oficializou, no final da tarde desta sexta-feira, o seu retorno aos quadros do Partido dos Trabalhadores. Ele disse que pretende transformar o PT "no maior partido da Paraíba". O ex-governador, numa referência às ações da Operação Calvário onde é réu, disse que é vítima do "lavajatismo, assim como o PT foi".

Além de Ricardo, retornaram ao PT os deputados estaduais Jeová Campos, Estela Bezerra e Cida Ramos. As duas deputadas também são investigadas no âmbito da Operação Calvário. A ex-prefeita do Conde, Márcia Lucena, que também se filiou ao PT, é ré na mesma operação.

Aliados do ex-governador Ricardo Coutinho usaram o perfil do PSB João Pessoa no Instagram para divulgar a filiação dele e de deputados estaduais no Partido dos Trabalhadores. A publicação registra a apresentação do cantor Chico cesar, que foi secretário na gestão de Ricardo. O acesso ao perfil do PSB ainda continua com aliados do ex-governador e a futura presidente da sigla, a ex-vereadora pessoense Sandra Marrocos, disse que pediu as senhas à ex-presidente Cassandra Figueiredo, mas não elas não foram repassadas.

Logo pela manhã, o ex-governador iniciou uma série d repostagem sobre o seu retorno e publicou uma foto ao lado do presidente estadual do PT, Jackson Macedo. O retorno de Ricardo ainda enfrenta resistências de petistas históricos. Nesta quinta, Joaci Júnior, um dos fundadores do partido no Estado, se desfilou. Ele alegou que estava faltando "democracia interna"e externou seu desapontamento com a decisão da direção nacional de impor o retorno do ex-governador