Sebrae-PB apoia projeto inédito de criação de ração derivada da moringa 

Uma planta com inúmeros benefícios que podem ser usados desde a indústria de cosméticos até de alimentação. E, o melhor: bastante adaptada ao clima e solo nordestinos. Esta é a moringa, cujas folhas e sementes têm servido, dentre outros propósitos, para um projeto inédito e bastante audacioso: o desenvolvimento de uma ração para alimentar ovinos, mais especificamente carneiros. O Sebrae Paraíba, que apoia o projeto, reconhece as vantagens que o pequeno produtor pode ter ao plantar a árvore.

O empresário Fernando Sávio de Mello, integrante da Associação Nacional dos Produtores de Moringa (Asmor) e entusiasta da cultura, é um dos responsáveis pelo andamento do projeto. Conforme relatou, depois de ganhar uma quantidade de sementes, começou a pesquisar sobre a moringa e encontrou um material do pesquisador Frederico Lisita, da Embrapa do Pantanal, que estuda as propriedades da planta para ser ração para animais. A partir daí, seguiu pesquisando até se envolver em uma parceria com quatro núcleos e oito pesquisadores da Embrapa do Mato Grosso do Sul, Sobral (CE), Campina Grande e Sergipe.

“Estamos testando a ração com 12 cordeiros, que se alimentam exclusivamente dela duas vezes ao dia. Até agora, está indo bem e os animais estão com ganho de peso entre 280g a 300g por dia, o que é acima da média. O teste teve início em novembro e os animais irão para abate em janeiro, quando poderemos ver, por exemplo, a fibragem da carne. A ração é natural, ou seja, não tem química alguma e queremos, futuramente, expandir para alimentar outros animais, a exemplo de cavalo, peixe e até mesmo cachorro”, explicou, acrescentando que a prefeitura de Serra da Raiz, local onde os animais em teste estão, e o Sebrae Paraíba também apoiam o projeto.

Semanalmente, pesquisadores ligados à Embrapa de Campina Grande realizam testes junto aos animais como forma de acompanhar o andamento do projeto. São feitos, na ocasião, exames de urina, sangue, pesagem e ultrassonografia. “É um pequeno passo para o agricultor, mas um grande passo para a economia nordestina. O trabalho com o Sebrae é no sentido de envolver mais produtores locais no cultivo da moringa. Prefiro dividir o conhecimento e todos ganharem”, afirmou o empresário.

Riqueza em uma só planta – A gerente regional do Sebrae Paraíba em Guarabira, Jacy Viana, destacou que a moringa é uma árvore com muitos benefícios, que pode ser aproveitada desde o caule e folhas até as sementes e vagens. “O Sebrae foi chamado como parceiro para elaborar um módulo de consultoria para o produtor entender o que é a moringa, qual o custo dessa plantação de um hectare e quanto traria de retorno pra ele”, explicou, acrescentando que ela pode ser plantada de forma consociada, ou seja, junto com outras culturas.

“A proposta é acompanhar certo número de produtores nesse processo, por meio da consultoria, e receber orientações desde a plantação até o primeiro ciclo de colheita. Primeiro, fizemos uma sensibilização, depois partiremos para a fase de capacitação e acompanhamento de todo o processo. Com isso, queremos auxiliar o pequeno produtor a aproveitar as vantagens da moringa”, salientou a gerente.