TJPB reduz gastos com contratos de telefonia móvel

Há quase dois anos, o Núcleo de Gestão Socioambiental (NGSA) do Tribunal de Justiça da Paraíba vem realizando um acompanhamento sistemático em relação aos contratos de telefonia existentes no Judiciário estadual. O trabalho desenvolvido pelo setor resultou em uma economia no total de R$ 166.520,33 de setembro de 2017 até o momento, conforme informação prestada pelo servidor Adriano Buriti, membro do Núcleo.




O servidor explicou que o controle das linhas e a criação de perfis iniciados em 2017 e desenvolvidos até hoje começaram a apresentar resultados positivos a partir de agosto de 2017. A média da fatura mensal era de R$ 24.346,97 e chegou ao final daquele ano em torno de R$ 9 mil.




“Apesar de ter surgido a necessidade de mais nove linhas temporárias em junho de 2018 para atender às necessidades do Anexo Administrativo II (que nesta data passou a funcionar no antigo prédio do Instituto João XXIII, na Capital), vínhamos avaliando o custo da ligação, o que nos permitiu negociar com a operadora para reduzir os valores dos contratos”, informou o servidor.




De acordo com dados disponibilizados pelo Setor, em janeiro deste ano, o TJPB passou a dispor de 27 linhas no 1º Grau de jurisdição e 76, no 2º Grau, e a fatura, nesse mês, foi de  R$ 9.071,11, muito inferior em relação ao cobrado em janeiro de 2017, que foi de R$ 25.265,21, conforme dados do NGSA. Já em julho de 2018, apesar do aumento do número de linhas (de 103 para 108), o valor total da fatura continuou reduzindo, chegando a R$ 6.885,75, o que evidencia os benefícios que vem sendo alcançados com o trabalho do Núcleo, como destacou Adriano Buriti.